Sábado, 8 de Agosto de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Sacerdote com laços em Sorocaba à frente da beatificação de adolescente italiano Venerável Carlo Acutis será beatificado em outubro na cidade de Assis. Saiba por que será declarado Padroeiro da Internet

Publicada em 09/07/2020 às 15:17
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Arquivo pessoal)
O padre Fábio Vieira, com raízes profundas em Sorocaba - sua família mora na Zona Norte, na região do Parque das Laranjeiras, e ele mesmo como seminarista residiu bom tempo junto à Comunidade Salesiana da Paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora, no bairro do Mangal -, está atualmente radicado na Itália, auxiliando diretamente nos trabalhos de preparação da cerimônia de beatificação do Venerável Carlo Acutis, marcada para 10 de outubro, na cidade de Assis. Padre Fábio exercia as funções de cura da Catedral de Nossa Senhora da Candelária, em Corumbá, interior do Mato Grosso do Sul, na divisa com a Bolívia, quando foi incumbido pelo Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Campo Grande para ser o portador da documentação comprobatória do milagre que torna possível a beatificação do adolescente italiano junto à Sagrada Congregação Pontifícia pela Causa dos Santos - o postulador é Nicola Gori, funcionário de ‘L’Observatore Romano’, o jornal oficial do Estado do Vaticano, editado em várias línguas, e o vice-postulador é o padre Marcelo Tenório, pároco da Matriz de São Sebastião, na cidade de Campo Grande (MS), onde se deu o milagre.
Padre Fábio atualmente está em Assis, onde Carlo Acutis está sepultado, inclusive residindo temporariamente com os próprios pais do futuro Beato, Andrea e Antonia, além dos gêmeos Francesca e Micheli, hoje com 10 anos, também eles irmãos do Venerável e concebidos miraculosamente, certamente, por sua intervenção.
Padre Fábio nasceu em Fortaleza, capital do Estado do Ceará, e em 1993 mudou-se com a família para Sorocaba. Vocacionado, iniciou experiência religiosa junto à Congregação de Dom Bosco, dos Padres Salesianos, tendo como mestre de noviços o atual arcebispo metropolitano de Cuiabá, no Mato Grosso, dom Milton Antônio dos Santos, SDB, que também foi diretor do Colégio Salesiano ‘São José’, de Sorocaba. Permaneceu com os Salesianos até o pós-noviciado e depois começou a lecionar no colégio das religiosas Filhas de São José, na vizinha cidade de Porto Feliz. Foi ali que dom Milton dos Santos, então bispo diocesano de Corumbá, foi encontrá-lo, convidando-o a se transferir para sua Diocese, onde concluiu seus estudos teológicos e, posteriormente, seria ordenado sacerdote. Terminado este como ‘ano sabático’ na Itália, padre Fábio retorna para suas funções na Catedral de Corumbá e também de chanceler do Bispado. 
 
O FUTURO BEATO - O Venerável Carlo Acutis (3 de maio de 1991 - 12 de outubro de 2006) ficou conhecidíssimo nos anos de sua tenra adolescência por sua alegria e habilidades com o computador, ao lado de profunda devoção à Eucaristia, que se tornou logo o centro de sua vida.  
Os pedidos para sua beatificação começaram não muito tempo depois de sua morte e ganharam impulso significativo em 2013, depois que a causa começou oficialmente e ele recebeu o título de Servo de Deus - o primeiro estágio no caminho para o reconhecimento de santidade pela Igreja. O papa Francisco declarou que ele era venerável em 5 de julho de 2018. Agora em 21 de fevereiro deste ano, o Sumo Pontífice, ao autorizar a Congregação para as Causas dos Santos a promulgar decretos aprovando novas beatificações e canonizações, a incluiu entre eles o nome do jovem italiano. 
Carlo Acutis nasceu em Londres. Seus pais - Andrea Acutis e Antonia Salzano – trabalhavam na capital britânica, mas foram estabelecer-se em Milão pouco depois do nascimento do filho, em setembro de 1991. Tornou-se devoto ainda criança da Mãe de Deus e recitava com frequência o Santo Rosário, como sinal de sua devoção por Nossa Senhora. A partir da recepção de sua Primeira Comunhão (com 7 anos de idade, no Convento de Santo Ambrogio ad Nemus), as comunhões igualmente tornaram-se cotidianas e fazia o esforço de refletir antes ou depois da missa diante do Sacrário. Acutis também procurava se confessar uma vez por semana. 
Aqueles ao seu redor sabiam, por outro lado, que ele tinha paixão por computadores. Teve sua educação escolar em Milão e seus estudos do Ensino Médio estavam sob os cuidados dos jesuítas no Instituto Leão XIII. Carlo também teve vários modelos como seus guias para a vida: São Francisco de Assis, Santos Francisco e Jacinta Marto (em seu tempo ainda beatos), São Domingos Sávio, São Luís Gonzaga, São Tarcísio e Santa Bernadette Soubirous.
Preocupação bem presente no adolescente, futuro Beato da Igreja, era também com aqueles amigos cujos pais estavam se divorciando e, então, ele convidava sempre esses amigos para sua casa para apoiá-los. Defendia igualmente os direitos das pessoas com deficiência e com ardor os colegas deficientes na Escola quando zombadores frívolos os importunavam. Adorava viajar, visitava Assis mais do que outros lugares.  
Porém, Carlo Acutis logo contraiu leucemia. Contudo, oferecia sua dor tanto pelo papa Bento XVI, quanto pela Igreja: "Ofereço todo o sofrimento que hei de ter pelo Senhor, pelo Papa e pela Igreja", dizia. Ele pedira a seus pais, aliás, que o levassem em peregrinação aos locais de todos os milagres eucarísticos conhecidos no mundo, mas sua saúde frágil impediu que isso acontecesse. Ser apaixonado por computadores levou-o, de outro lado, a criar um site dedicado à catalogação cuidadosa de cada milagre eucarístico relatado em 2005 (ele os catalogava desde os 11 anos). Apreciava as iniciativas do Beato Tiago Alberione, fundador da Família Paulina, de usar a mídia para evangelizar e proclamar o Evangelho e pretendia fazer isso com o site que criara. Também gostava de edição de filmes e quadrinhos. Foi no site que escreveu certa ocasião: "Quanto mais Eucaristia recebemos, mais nos tornaremos como Jesus, para que nesta Terra tenhamos uma antecipação do Céu". 
Carlo Acutis será declarado padroeiro da Internet. O médico que o tratou perguntou se ele estava sofrendo muita dor e respondeu que "há pessoas que sofrem muito mais do que eu". Ele morreu em 12 de outubro de 2006, às 6h45, da leucemia fulminante M3 e foi enterrado em Assis, de acordo com seu desejo. Em 23 de janeiro de 2019, seu corpo foi exumado e foi descoberto que estava incorrupto (não entrou em decomposição); em 6 de abril, foi transferido para uma igreja de Assis, onde espera a beatificação para ser finalmente exposto à veneração pública. 
 
 

O milagre veio do Brasil

 
Em 15 de novembro de 2019, a Comissão Médica da Sagrada Congregação Pontifícia para a Causa dos Santos, com sede em Roma, acolheu o relato da cura milagrosa de um menino ocorrida no Brasil, em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, pela intercessão do Venerável Carlo Acutis, abrindo caminho para a beatificação. O milagre levado para o estudo do Vaticano pela intercessão do jovem venerável apontava um menino com uma rara doença congênita que ficou curado após rezar diante de uma relíquia de Carlo Acutis. A identidade do miraculado e os detalhes da cura ainda não foram divulgados pela Santa Sé.
No dia 12 de outubro de 2010, na Paróquia de São Sebastião na capital sul-matogrossense, no momento da bênção com a relíquia, aproximou-se um garoto, levado por seu avô e que sofria o drama do pâncreas anular, a anomalia congênita rara. Essa enfermidade fazia com que a criança vomitasse todo o tempo, o que a deixava fraca e muito abatida, pois tudo o que comia, voltava, inclusive líquido. Já andava com uma toalhinha, porque era grave a sua situação. Cada vez mais fraco e debilitado, encontraria a morte certa.
Na fila para bênção, a criança pergunta ao avô o que deveria pedir e ele lhe diz: "Para parar de vomitar". E assim aconteceu. Quando chegou a vez do enfermo, ele tocou na relíquia do Carlo e disse com voz firme: "Parar de vomitar". A partir de então, não vomitou mais. Em fevereiro de 2011, a família mandou fazer novos exames no garoto e foi-lhe constatada a plena cura. 
A notícia do reconhecimento do milagre atribuído a Carlo Acutis repercutiu também em Assis, na Itália, onde está o corpo do futuro beato. No Santuário da Spogliazione, o bispo diocesano de Assis-Nocera Umbra-Gualdo Tadino, dom Domenico Sorrentino, disse aos fiéis que “às vezes a vida não só nos surpreende com belas notícias, mas também com notícias belíssimas como esta”, referindo-se à próxima beatificação do ‘apóstolo do PC e padroeiro da Internet”.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar