Sexta-Feira, 26 de Fevereiro de 2021

Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
Sorocaba 

buscar

<< Município e região aguardam volta à fase laranja até sexta

Publicada em 26/01/2021 às 19:57
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR
Sorocaba e região aguardam até sexta-feira (29) a reclassificação de fase no Plano São Paulo, ou seja, a volta à fase laranja com flexibilizações. O anúncio deu-se pelo prefeito Rodrigo Manga, na coletiva de imprensa na segunda-feira (25), quando apresentou o resultado da reunião da Comissão Especial da Região Metropolitana com o governo do Estado. 
“Saímos vitoriosos dessa reunião em São Paulo. Apresentamos documentações que mostram que Sorocaba pode retornar à fase laranja do Plano São Paulo, com muita responsabilidade. O secretário de Estado e sua equipe vão analisar esse material e aguardamos por uma decisão positiva ainda nesta semana”, disse Manga.
A classificação surge com base no índice de ocupação de leitos. “O Estado tomou por base dados de terça-feira (19), mas não computou, na mesma semana, a ampliação de 10 leitos Covid no “Adib Domingos Jatene” e de mais cinco na UPH Zona Leste, no sábado (23), o que habilita Sorocaba e região à reclassificação”, explicou o secretário Vinícius Rodrigues.
O prefeito destacou que a reclassificação de Sorocaba é viável, graças às rápidas ações de enfrentamento à pandemia que estão sendo tomadas desde o dia 1º de janeiro, assim como as articulações com o Estado e os esforços conjuntos das cidades da região. No domingo (24), a Prefeitura fez reunião no PTS com representantes de 16 prefeituras da RMS. 
Por sua vez, o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, adiantou que não haverá reclassificação de fase para nenhuma cidade da região, incluindo Sorocaba, conforme disse a prefeita de Itapetininga, Simone Marquetto. “Não haverá mudança para nenhuma cidade e também não haverá mudança de forma isolada”, disse ela.
Simone ressaltou, ainda, que a cidade que não cumprir o Plano São Paulo poderá arcar com questões jurídicas. Ela disse não ser confortável ficar na fase vermelha, contudo ponderou não ter autonomia para descumprir um decreto do Estado. “A gente entende que o enfrentamento vai gerar uma discórdia muito grande”, frisou.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar