Sábado, 4 de Abril de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Investigado colabora com ‘Casa de Papel’ em delação Polícia cumpre mandado de busca e apreensão na casa de Crespo

Publicada em 12/09/2019 às 19:46
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
A “Operação Casa de Papel”, que investiga suposto esquema de corrupção em três secretarias da Prefeitura de Sorocaba, recebeu ajuda de um dos suspeitos investigados na força-tarefa. Conforme o delegado seccional, Marcelo Carriel, essa pessoa, que tem o nome preservado, fez delação premiada a colaborou com a nova fase dos trabalhos. 
No suposto esquema, estaria relacionado desvio de dinheiro, fraudes em licitações, corrupção de agentes públicos e lavagem de dinheiro. Na manhã desta quinta-feira (12), a Polícia Civil de Sorocaba cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do ex-prefeito José Crespo.  
A delação premiada foi feita por um dos suspeitos, na qual confessou seu crime e dos demais, assim como se dava o suposto esquema de irregularidades. Conforme Carriel, a homologação trata-se da narrativa de uma pessoa que tinha conhecimento de todos os fatos, com participação em alguns, de forma direita ou indireta.  
“O Poder Judiciário tem de analisar e aceitar ou não; isso é chamado homologação”, explicou o delegado, ressaltando, ainda, que o suspeito está sob sigilo, com os dados protegidos e não é identificado, a não ser para as partes do processo. Tudo o que foi apreendido na casa de Crespo foi encaminhado para a Delegacia Seccional de Sorocaba. 
De acordo com Carriel, o próximo passo é analisar toda a documentação apreendida e adiantou não ser necessária uma perícia, o que possibilita uma análise mais rápida. Após esse processo, Crespo poderá dar depoimento à polícia. “O que mais nos importava eram algumas informações que, eventualmente, estejam nos dispositivos eletrônicos.” 
Por sua vez, o advogado de Crespo destacou julgar desnecessário o cumprimento do mandado de busca e apreensão, porque são documentos que poderiam ser pedidos. Ressaltou, ainda, que o ex-prefeito está tranquilo e tem a consciência de que não cometeu irregularidade. A defesa e Crespo acompanharam o registro de tudo o que foi apreendido. 
 
OPERAÇÃO – Deflagrada em abril deste ano, a força-tarefa cumpriu 18 mandados de busca a apreensão no Paço, em residências de empresários e também dos três secretários que estavam na Prefeitura, Werinton Kermes, Hudson Zuliani e Eloy de Oliveira. Inicialmente, nove pessoas eram investigadas por suposta participação em esquemas. 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar