Domingo, 23 de Setembro de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Saae-Sorocaba desenvolve ações de enfrentamento à falta de chuva

Publicada em 10/07/2018 às 14:28
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Rafael Baddini)
O tempo é de estiagem. Nesta terça-feira (10), completam 26 dias sem chuva significativa em Sorocaba. E segundo a previsão, haverá pouca precipitação nos próximos dois meses. Com este cenário, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba (Saae-Sorocaba) iniciou manobra previsível e habitual nessas condições, para preservar os níveis das represas que servem a região do Éden. Além disso, apela à população para intensificar o combate ao desperdício e assim, evitar a necessidade de medidas mais incômodas, nos próximos meses, para o enfrentamento à falta de chuva.
Neste momento está descartado o risco do desabastecimento ou a necessidade de fazer racionamento. Porém, há o temor que medidas restritivas possam a vir ser adotadas, caso volte a fazer calor durante os dias de inverno e não haja chuva o suficiente. “Temos água para abastecer toda a cidade, mas se não chover nos próximos meses, a situação pode se agravar na região do Éden”, explica o diretor-geral do Saae-Sorocaba, Ronald Pereira da Silva.
Para preservar a represa Castelinho, que abastece a represa do Ferraz, ambos mananciais da ETA do Éden, o Saae-Sorocaba adotou uma manobra. Há um mês, durante o período noturno, a água produzida na ETA Cerrado é enviada para os reservatórios que abastecem os imóveis da região do Éden, preservando os níveis dos mananciais da ETA Cerrado.
De acordo com o diretor de Produção do Saae-Sorocaba, Reginaldo Schiavi, no dia de hoje a represa da Castelinho, que armazena a água enviada para a empresa do Ferraz, está com 70% da capacidade de armazenamento. A represa do Ferraz, cuja função é mais a de alimentar a captação da ETA do Éden, está com 40% de sua capacidade.
Na represa do Clemente, a maior fonte de água para tratamento em Sorocaba, a situação é cômoda. A represa do Clemente tem o nível sempre estável, independente da estiagem, já que existe o compromisso da Votorantim Energia em sempre destinar água da represa de Itupararanga em quantidade suficiente para manter a uniformidade do nível.
A represa do Clemente abastece a ETA do Cerrado, assim como a Ipaneminha, cujo nível desta segunda encontra-se em cerca de 90% da capacidade. O reservamento da Ipaneminha apenas é usado em momentos de alto consumo da água produzida pela ETA Cerrado.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar