Quarta-Feira, 24 de Outubro de 2018 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< EDUCAÇÃO Sobrecarga de tarefas pode prejudicar rendimento escolar Organização deve ser trabalhada desde a infância

Publicada em 15/05/2018 às 18:42
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
Uma criança ter um cotidiano totalmente preenchido por atividades nem sempre significa que todo o esforço está ajudando em algo. Na infância e adolescência, a rotina exige pausas, principalmente quando se vive em um sistema multitarefa. A sobrecarga de compromissos pode ser prejudicial no processo de formação pessoal, de modo particular no rendimento escolar.
 
A professora Carolina Boddy, diretora da Bem Mais Ensino Personalizado, sabe o que é organizar uma rotina, especialmente quando o assunto é estudo. Ela explica que uma criança sobrecarregada pelas tarefas diárias apresenta sinais, tanto na parte física, quanto emocional, como sono excessivo ao acordar para ir à escola, alterações bruscas de peso, baixa no rendimento escolar e reclamações constantes de dor. Contudo Carolina ressalta que, antes de avaliar esses sinais, é possível analisar a agenda semanal da criança. “Se o tempo de contraturno escolar estiver ocupado acima de 50%, já é um sinal de alerta”, aconselha.
 
De acordo com Carolina, estudar é diferente de ir à escola, já que essa ação se trata de uma ferramenta no processo de aprendizagem, no entanto não substitui o estudo. “Estudar é sentar-se diante dos materiais, pesquisar, ter suas próprias dúvidas e conclusões”, enfatiza reforçando que, se o aluno for sobrecarregado de atividades, o tempo de estudo se reduz, prejudicando o entendimento e assimilação de conteúdos apresentados na escola.
 
Além dos estudos, a criança deve aprender a se organizar mesmo quando tem compromissos. Segundo a professora, muitas tarefas podem interferir no contato familiar, na convivência dentro do lar. Ainda sobre o envolvimento dos pais na organização cotidiana dos filhos, Carolina destaca que tudo deve ser ponderado. “Até o fim do Ensino Fundamental, o envolvimento é muito forte e necessário, contudo, aos 10, 11 anos, já é possível que os pais comecem apenas a supervisionar as tarefas, e não mais ajudar efetivamente na execução dos trabalhos.”
 
Passos para se organizar
 
Carolina sugere que um bom começo para a organização é ter uma agenda, que fique em um local visível pelo aluno. “Porém a criança precisa entender e seguir esse cronograma sem que haja briga ou supervisão excessiva por parte dos pais”, salienta colocando, ainda, que essa programação deve conter todas as atividades escolares, pessoais, da família e lazer.
 
Outro passo é integrar um plantão de tarefas. “Na Bem Mais, o aluno tem toda a tarde para fazer suas lições de casa e estudar semanalmente. Nosso modelo de trabalho é baseado na autonomia de estudo, ou seja, o aluno é responsável por fazer seu cronograma de estudo do dia, de ir atrás do professor para tirar suas dúvidas e também de entregar lições de casa na escola. Entramos com o papel de supervisão, de correção e de estímulo. Diante de alguns casos, podemos afirmar que ajudou muito nesse processo de autonomia para alunos que estavam acostumados a sempre serem ajudados por seus pais”, conclui.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar