Segunda-Feira, 23 de Outubro de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< SOROCABA Crespo nega agressão e diz que Jaqueline deixa círculo de confiança Comissão vê contradições entre depoimento do prefeito e demais ouvidos

Publicada em 08/08/2017 às 22:24
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Foto: Divulgação)
CINCO DIAS DE PRAZO 
 
O prefeito José Crespo (DEM) prestou depoimento, nesta terça-feira (8), à Comissão Processante que o investiga por suposta infração político-administrativa. Ele ficou menos de uma hora na Câmara e negou agressão física tanto contra a vice, Jaqueline Coutinho (PTB), quanto o secretário Hudson Zuliani. 
 
Ele justificou que, em abril, o secretário e a vice falaram das investigações sobre os diplomas de ensinos Superior e Médio da ex-assessora Tatiane Polis, que já tinham sido levadas à Corregedoria; segundo ele, em maio, o corregedor tinha afirmado que os certificados estavam regulares. Crespo disse, ainda, que teve conhecimento de assédio moral cometido por Jaqueline contra Tatiane na noite do dia 22 de junho.
 
“No dia seguinte, pela manhã, convoquei reunião de esclarecimentos, especialmente das injúrias proferidas contra a assessora, como ‘mulherzinha’ e ‘você comprou seu diploma’. Ao invés de retirar essas injúrias, Jaqueline levantou-se, com o dedo em riste, e, descontrolada, reafirmou-as, demonstrando preconceito e ódio pessoal. De fato, fiquei exaltado; pois não esperava tamanho descontrole da vice, mas não agredi, nem física, nem verbalmente”, disse o prefeito.
 
Na saída, ao entregar à imprensa um resumo do conteúdo que prestou à Comissão, ele não disse se vai recorrer da decisão que permitiu o retornou de Jaqueline ao Paço, apenas afirmou que ela estava deixando de pertencer "ao círculo de pessoas de sua confiança". 
 
CONTRADIÇÕES – Para os vereadores que compõem a Comissão, Fausto Peres (Podemos), Silvano Júnior (PV) e Vitão do Cachorrão (PMDB), as declarações do prefeito soaram com contradições se comparadas com as de outras pessoas já ouvidas até o momento; contudo não apontaram as divergências. Agora, Crespo tem cinco dias de prazo, contados a partir de hoje, para apresentar razões finais.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar