Terça-Feira, 26 de Maio de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< SOROCABA 2016, ano em que 'se puxou uma pena e veio uma galinha inteira'

Publicada em 31/12/2016 às 08:41
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Fernando Rezende)
 
 
Em 2015, o ministro Teori Zavascki, relator da “Operação Lava-Jato” no Supremo Tribunal Federal, para explicar aos colegas os inúmeros fatos que não paravam de surgir nas investigações, disse a seguinte frase: “A gente puxa uma pena e vem uma galinha”. Contudo mal ele sabia que essa realidade aumentaria consideravelmente neste ano, ou seja, para muitos setores, 2016 foi um verdadeiro rebuliço, principalmente na área política. 
 
A “Lava-Jato” tomou novas áreas e novamente chegou a respingar nos grandes, promovendo mudanças. Assim como em âmbito nacional, em que lideranças tiveram de deixar seus postos, no municipal, hegemonias foram rompidas. Nas justificativas, a palavra crise econômica foi “figurinha carimbada”, tanto que paralisações e rompimento de eventos mobilizaram a cidade e o País.
 
Porém a esperança e a unidade também intermediaram dias difíceis, marcados pela morte e catástrofes, assim como demonstrações de unidade em eventos mundiais explicitaram a importância do ser humano e do esporte. Que os erros e acertos deste ano sirvam para impulsionar a sociedade em busca da paz e do respeito ao próximo. Feliz 2017!
 
 
Estragos das chuvas
 
A chuva que caiu sobre a cidade, em janeiro, causou transtornos, como interdições de ruas, deslizamentos e queda de muros. A Avenida XV de Agosto ficou bloqueada por dias, desde a entrada do Jardim Iguatemi até a ponte da Avenida Camilo Júlio. No Jardim São Guilherme, zona norte, o muro do Centro de Educação Infantil (CEI 84) caiu. Na Vila Trujillo, um barranco desmoronou na Rua Pombal Rugeri. Já o bairro Brigadeiro Tobias, zona leste, registrou o maior volume de chuvas para o mês, conforme o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais. 
 
 
Bate-boca no 
Nilton Torres 
 
A entrega do ginásio poliesportivo “Professor Edson Antão de Souza”, no bairro Nilton Torres, no dia 22 de fevereiro, rendeu bate-boca entre moradores e o prefeito Antônio Carlos Pannunzio (PSDB). Cartazes com frases “Os buracos têm que tapar para os ônibus voltarem a passar”, “Cajuru esquecido? Nilton Torres acordado”, os manifestantes reivindicaram, principalmente, ações contra as péssimas condições das ruas do bairro e pediram mais creches na região. Logo no começo do discurso do secretário de Mobilidade, Desenvolvimento Urbano e Obras, Antônio Benedito Bueno Silveira, o grupo começou a protestar e a levantar cartazes. 
 
 
Protesto pelo
‘impeachment’
 
Cerca de 15 mil pessoas participaram da manifestação contra o governo Dilma no dia 13 de março, afirmou a Polícia Militar. Contudo organizadores do ato disseram que o manifestou reuniu 25 mil manifestantes. Assim como ocorreu em outras cidades do País, os sorocabanos concentraram-se no Parque Carlos Alberto de Souza, no Parque Campolim, de onde saíram em caminhada pela Avenida Antônio Carlos Comitre, com palavras contra o governo Dilma e o PT. O grupo também pedia o “impeachment” da presidente.
 
 
Contra Lula
na Casa Civil 
 
Um manifesto contra a posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Ministério da Casa Civil e a favor do “impeachment” da presidente Dilma Rousseff (PT) reuniu, na noite do dia 18 de maço, mil pessoas no Parque Campolim, segundo a Polícia Militar. Já os organizadores do ato, o Movimento Vem pra Rua, disseram que 2 mil manifestantes estiveram no local. Os participantes da mobilização aglomeraram-se no Parque Carlos Alberto de Souza, no Campolim. Eles tomaram a Avenida Antônio Carlos Comitre, uma das principais do bairro, e partiram em direção à sede do Ministério Público Federal, onde prometiam um ato de apoio ao juiz federal, Sérgio Moro. Nos prédios da região, luzes piscavam consecutivamente enquanto o protesto passava. Pela via, o grupo era liderado por um caminhão de som e por quatro pessoas que levavam uma urna fúnebre. “Simboliza o enterro do PT, o sepultamento desse governo”, afirmou um dos manifestantes gritando pelo fim do governo Dilma.
 
 
Telão no Campolim para 
votação do 'impeachment'
 
Quando o deputado Bruno Araújo (PSDB) falou “sim” para o 'impeachment', contabilizando os 342 votos necessários para o andamento do processo, os sorocabanos que acompanhavam, no dia 17 de abril, a votação na Câmara dos Deputados por um telão, no Parque Carlos Alberto de Souza, no Parque do Campolim, não se contiveram e festejaram. Na Avenida Antônio Carlos Comitre, a principal daquele bairro, houve "buzinaço". Foram mais de nove horas de votação, e os manifestantes pró-'impeachment' aguentaram o cansaço e o calor, que persistiu durante todo o dia, para acompanhar a votação do início ao fim. A cada voto favorável ao impedimento da presidente, os sorocabanos comemoravam e, a cada contrário à saída de Dilma, os parlamentares eram vaiados.
 
 
Santos tira o São 
Bento do Paulista
 
Não deu para o São Bento. Jogando na noite do dia 16 de abril, na Vila Belmiro, a equipe de Sorocaba sucumbiu ao forte time do Santos e, assim, finalizou sua passagem pelo Campeonato Paulista de 2016. A campanha foi a melhor do clube neste século. O destaque da partida ficou por conta da grande festa da torcida são-bentista em plena Vila Belmiro. Apesar da derrota, o São Bento garantiu vaga na Série D do Campeonato Brasileiro de 2017. 
 
 
Estudantes unem-se 
para limpar banheiros 
 
Com banheiros em situação de sujeira e sem funcionários para a limpeza, alunos da EE “Antônio Padilha”, situada no Centro, tiveram de fazer mutirões para resolver o problema enquanto diziam esperar atitudes do governo estadual. No dia 18 de maio, estudantes contaram que a decisão de limpar os banheiros do colégio foi tomada pelos próprios alunos. 
 
 
Chuva alaga vias
e cancela evento 
 
As chuvas em junho também alagaram ruas e casas em Sorocaba e interferiram na programação da Festa Junina Beneficente da cidade. No dia 9 daquele mês, um trecho da Avenida Dom Aguirre foi interditado após o rio Sorocaba ter transbordado perto do Jardim Abaeté. O aumento do nível deu-se por conta do excesso de água na represa de Itupararanga, em Votorantim. Outros trechos, como a Avenida XV de Agosto e as ruas José Martinez Perez, Victório Scabia e Osório Antônio de Lima, no Parque Vitória Régia, também ficaram alagados. Na festa junina, o show do MC Biel, uma das principais atrações, no dia 5, foi cancelado por causa do temporal; a praça de alimentação e o parque de diversões também não funcionaram.
 
 
Auxiliar de enfermagem é morto
a facadas por paciente mental 
 
O auxiliar de enfermagem, Antônio Carlos de Matos, 28 anos, morreu com um golpe de faca no peito no dia 7 de julho, durante um trabalho de rotina com um homem com problemas psiquiátricos, que lhe desferiu o golpe. O serviço médico era prestado na casa do acusado, no Bairro do Éden, em Sorocaba. A vítima trabalhava no Centro de Atenção Psicossocial (Caps) 3 "Arte do Encontro" (SP), na qual o homem era atendido. O profissional aplicava a medicação quando o homem teve um surto. Eles se trancaram no quarto, e a vítima foi atingida. O auxiliar de enfermagem chegou a ser socorrido, mas não resistiu ao ferimento. A Secretaria da Saúde lamentou o falecimento do auxiliar de enfermagem e disse que o paciente de saúde mental que golpeou o técnico não fazia parte do processo de desinstitucionalização colocado em prática em Sorocaba, cujas medidas tinham sido adotadas em cumprimento ao TAC, assinado em dezembro de 2012.
 
 
Passagem da Tocha cumpre 
percurso em solo sorocabano 
 
Depois de ultrapassar a divisa com São Paulo, a partir da cidade paranaense de Castro, de onde saiu na manhã do dia 16 de julho, a Tocha Olímpica despediu-se da Região Sul do País e retornou ao Sudeste brasileiro, quando, na manhã do domingo, dia 17, cumpriu percurso em Sorocaba. Antes disso, e ainda no sábado, circulou por Itararé, Itapeva, Capão Bonito e Itapetininga, onde fez pouso. De Sorocaba, o símbolo do esporte olímpico seguiu para Tatuí, Botucatu e Bauru, encerrando seu trajeto dominical.
 
A movimentação com a passagem da chama por solo sorocabano começou ainda com o céu escuro. Equipes das secretarias municipais, de trânsito, do Comitê Olímpico e patrocinadores, junto com as forças de segurança, garantiram que o trajeto de 12,4 quilômetros pelas ruas da cidade fosse tranquilo. E o público foi conferir o evento, desde o Parque Campolim, de onde a tocha saiu. Sorocaba contou com 63 condutores no revezamento da chama; 11 deles selecionados pela Secretaria de Esporte e Lazer e os demais 52 definidos por campanhas publicitárias dos patrocinadores oficiais da Olimpíada.
 
Emoção não faltou aos responsáveis pelo desfile da chama olímpica e o público retribuiu a disposição dos condutores. Ao chegar ao Parque das Águas, Toniquinho Fonseca foi ovacionado pelo público e demonstrou emoção ao seguir pelos últimos metros da tocha na cidade. Ele, aliás, foi a sensação da imprensa local e de pessoas de todas as idades na hora de garantir os selfies e flashes da passagem da Tocha Olímpica pela terra de Baltazar Fernandes. 
 
 
 
 
Fasiaben preso 
em busca domiciliar 
 
Acusado de desviar recursos do hospital, o ex-provedor da Santa Casa de Misericórdia, José Antônio Fasiaben, foi preso preventivamente na manhã do dia 15 de agosto em uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público do Estado de São Paulo. Os policiais cumpriram mandados de busca domiciliar expedidos contra ele e também contra o vice-provedor, Ademir Lopes Soares. Uma funcionária do convênio Santa Casa Saúde, também com prisão preventiva decretada, foi procurada em casa, mas não encontrada. Na época, os suspeitos foram levados à sede da Polícia Civil. O advogado de Fasiaben e de seu vice, Mário Del Cistia, informou que entraria com pedido de revisão dos mandados de prisão. Caso não fosse atendido, impetraria habeas corpus. Fasiaben era investigado por supostos desvios de R$ 6,6 milhões de verbas públicas repassadas ao hospital, o que é negado por ele. O provedor administrava a Santa Casa, um dos maiores hospitais filantrópicos da região, havia mais de dez anos. Uma auditoria apurou que recursos repassados pelo governo federal para um Centro de Oncologia foram usados para outros fins. Também foram feitos pagamentos indevidos e compras sem licitação.
 
 
 
Aniversário da Cidade 
em meio a manifestações
 
As comemorações pelos 362 anos da fundação de Sorocaba, no dia 15 de agosto, feriado municipal, ocorreram em meio a protestos de professores e pessoas ligadas a projetos musicais. O grupo manifestou-se contra o cancelamento do tradicional desfile cívico pelo aniversário da cidade, durante ato em frente ao Mosteiro de São Bento, junto da estátua de Baltazar Fernandes, no Centro, em que reuniu o prefeito Antônio Carlos Pannunzio (PSDB) e outras autoridades. Para o cancelamento do desfile, o Paço justificou corte de gastos. A Prefeitura havia anunciado corte de verba da Secretaria da Cultura. A medida anulou o orçamento de R$ 810 mil para cumprimento do edital 2016 da Lei de Incentivo à Cultura, que estimula a produção artística no município. 
 
 
 
 
Bancários fazem uma
das greves mais longas 
 
A greve dos bancários, que se iniciou no dia 6 de setembro, foi uma das mais longas da categoria, estendendo-se por 30 dias. Um acordo na noite do dia 6 de outubro entre a Federação Nacional dos Bancos e os bancários de Sorocaba pôs fim à paralisação da categoria, que chegou a completar um mês. Assim, ficou acertado reajuste de 8% mais abono de R$ 3,5 mil, neste ano. No vale-alimentação, o acréscimo foi maior, de 15%, e no vale-refeição e auxílio-creche, de 10%. Para o próximo ano, a Federação aceitou repor integralmente a inflação mais 1% de aumento real nos salários em todas as verbas. 
 
 
 
Quase metade da
Câmara é renovada
 
A Câmara teve 45% de suas 20 cadeiras renovadas no primeiro turno das eleições, que ocorreram no dia 2 de outubro. Do atual mandato, nove parlamentares conseguiram se reeleger e 11 novos assumem o Legislativo no próximo ano. Para o Executivo, sorocabanos voltam às urnas no próximo dia 30 para decidir entre José Crespo (DEM) e Raul Marcelo (PSOL), que tiveram 133.767 votos (45,18% válidos) e 74.001 (25%), respectivamente. Na Câmara, o candidato democrata está em vantagem, já que metade dos vereadores pertence a partidos de sua coligação; por sua vez, Raul Marcelo conta apenas com uma vereadora eleita pelo PSOL, Fernanda Schilic Garcia. 
 
Entre os nove candidatos reeleitos encontram-se o Missionário Rodrigo Manga (DEM), com 11.471 votos; Fernando Dini (PMDB), 7.727; Anselmo Neto (PSDB), 6.137; Irineu Toledo (PRB), 4.468; Pastor Apolo (PSB), 4.195; Francisco França (PT), 4.156; Marinho Marte (PPS), 3.824; Pastor Luís Santos (PROS), 3.611; e Wanderley Diogo (PRP), 3.086. Fora José Crespo e Hélio Godoy (PRB), que concorreram ao Palácio dos Tropeiros, não voltam ao plenário da Câmara, o vereador Cláudio do Sorocaba I (PR), que era o candidato a vice de João Leandro (PSDB), Antônio Silvano (SDD), Carlos Leite (PT), Izídio de Brito (PT), Jessé Loures (PV), Muri de Brigadeiro (PRP), Waldecir Morelly (PRP), Waldomiro de Freitas (PSD) e Yabiku (PSDB). Desta vez, os eleitores de Sorocaba também elegeram duas mulheres, a candidata do PT, Iara Bernardi, com 4.364 votos, e Fernanda Schilic Garcia, do PSOL, com 3.882 votos. 
 
 
Em segundo turno, 
Crespo vence com 58,18%
 
Em cima de um trio-elétrico, o candidato eleito à Prefeitura de Sorocaba, José Crespo (DEM), comemorou no dia 30 de outubro sua vitória junto com a mulher, Lílian Crespo, com o apoiador, Renato Amary (PMDB), e a vice-prefeita e delegada de polícia, Jaqueline Coutinho (PMDB), em frente ao seu escritório, situado na Rua Abílio Soares, no Jardim América. Após 90 dias de campanha, ele venceu com 58,18% dos votos (182.833 votos) o segundo turno das eleições municipais, o qual disputava com Raul Marcelo (PSOL), e destacou que escolheu o lema “Renasce Sorocaba” para devolver o padrão de qualidade da cidade ao povo, em que Renato Amary deixou quando terminou seu governo.
 
Na ocasião, o ex-prefeito afirmou que é amigo de Crespo e, junto com o prefeito, vai ajudar a refazer Sorocaba. “O Crespo é o grande artilheiro, a Jaqueline foi uma surpresa maravilhosa. Tudo dá certo quando a gente usa o coração, o abraço, o beijo, a alegria; transformamos tudo isso em trabalho”, disse. “Muita gente falando de mim, falando de você (Crespo), querendo desqualificar o seu trabalho, a sua luta por Sorocaba, mas você vai trabalhar.” Amary deixou uma mensagem para Crespo. “Que ele consiga, e ele vai conseguir, recuperar a cidade através de projetos que foram construídos por nós enquanto prefeito durante oito anos, e que consiga, com esse comportamento, fazer com que Sorocaba volte a ser aquela cidade encantada, bonita, mágica, uma cidade onde existiam flores, onde existia um povo feliz, sem medo, mais seguro do que hoje.”
 
Lílian Crespo aproveitou para agradecer à população a força dada na caminhada de Crespo até agora, aos que acreditaram nas propostas da coligação, e também afirmou que Amary foi vitorioso. “Chegamos aqui pela graça de Deus, pelo trabalho de vocês e pela força de Renato, o grande vitorioso destas eleições de 2016. Alguém duvida? Dez vereadores e um prefeito não é para qualquer um; então, boa sorte para o nosso adversário, ele vai dormir mais cedo, e ‘bora trabalhar’”, declarou.
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar