Terça-Feira, 26 de Maio de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< BRASIL As mortes que marcaram o ano de 2016

Publicada em 31/12/2016 às 08:35
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

David Bowie 
 
O mundo perdeu no dia 11 de janeiro, uma segunda-feira, um dos maiores nomes da música. Artista camaleão, David Bowie morreu vítima de um câncer. Fãs em diferentes países prestaram homenagens, principalmente nas redes sociais. No twitter, o filho do cantor, Duncan Jones, lamentou o falecimento do pai. A Lenda do Rock havia lançado seu último disco, "Blackstar", dias antes da morte, quando também tinha comemorado 69 anos de idade. Entre seus maiores sucessos estão “Let’s Dance”, “Space Oddity”, “Herodes” e “Under Pressure”. 
 
 
Umberto Eco
 
O escritor italiano Umberto Eco, autor de “O Nome da Rosa”, entre outros, morreu no dia 19 de fevereiro, aos 84 anos. Semiólogo, filósofo, escritor e professor universitário, Umberto Eco nasceu em 5 de janeiro de 1932 na cidade de Alexandria, na região italiana do Piemonte. Contrariando o desejo do pai de que se tornasse advogado, ele estudou Filosofia e Literatura na Universidade de Turim, onde se tornou professor. Também foi editor de cultura da RAI, emissora estatal italiana. Em 1956, lançou seu primeiro livro “Il Problema Estetico di San Tommaso”.
 
 
Chico Rey 
 
O cantor sertanejo Chico Rey morreu no dia 26 de fevereiro, aos 63 anos, vítima de parada cardíaca, por complicações após uma sessão de hemodiálise. O artista, que, durante décadas, formou uma dupla sertaneja de sucesso com o irmão, Paraná, morreu em Maceió, onde estava em viagem de férias com a família. Batizado Francisco Aparecido Gomes, ele nasceu em Arapongas, no Paraná, em 1952. A dupla gravou o primeiro disco em 1981 e o sucesso nacional teve início com a música “Quem será seu outro amor”, que lhes rendeu o primeiro disco de ouro, em 1988. Entre as músicas de sucesso, estão “Encanto e magia”, “Tá com raiva de mim”, “Você não sabe amar” e Um degrau na escada”.
 
 
Frei Antônio Moser 
 
O diretor-presidente da Editora Vozes, frei Antônio Moser, 75 anos, foi morto com um tiro na manhã do dia 9 de março, após ser abordado por assaltantes na Rodovia Rio-Petrópolis, altura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, agentes receberam a informação da morte por volta das 7 horas. Quando chegaram ao local, os policiais encontraram frei Moser no banco do motorista de um Honda Civic, da Editora Vozes, na pista central, no sentido do Rio de Janeiro. Mesmo ferido, ele conseguiu dirigir o carro até o acostamento. Os criminosos, que estariam de moto, conseguiram fugir. 
 
 
Naná Vasconcelos 
 
O percussionista Naná Vasconcelos, 71 anos, morreu na manhã do dia 9 de março,  no Recife. Ele sofria de um câncer de pulmão e estava internado há dez dias. De acordo com a assessoria do Hospital Unimed III, o músico teve uma parada respiratória e passou por um procedimento, mas não resistiu. Apelidado de Naná pela avó, a música sempre foi o foco de Juvenal de Holanda Vasconcelos. Ele não media palavras para descrever seu amor e conexão com ela. Era como se a música fosse a energia, a batida, que movia o coração do percussionista.
 
 
Johan Cruyff
 
Morreu no dia 24 de março, em Barcelona, o ex-jogador e ex-treinador holandês, Johan Cruyff. Ele tinha 68 anos e faleceu após lutar contra um câncer no pulmão descoberto em outubro de 2015. Líder do "Carrossel Holandês", da década de 1970, e um dos maiores ídolos da história de Ajax e Barcelona, o ex-jogador chegou a publicar em seu site uma mensagem informando que o tratamento estava indo bem e que tinha certeza de que venceria a doença. Hendrik Johannes Cruyff nasceu em Amsterdã em abril de 1947. Considerado responsável por um estilo revolucionário de jogar futebol, em 1974, na Copa do Mundo da Alemanha, ele liderou a seleção holandesa, conhecida na época como "Laranja Mecânica". 
 
 
 
Tereza Rachel
 
A atriz e empresária teatral, Tereza Rachel, morreu no dia 2 de abril, aos 82 anos, no Hospital São Lucas, em Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro, de complicações decorrentes de um quadro agudo de obstrução intestinal. Nascida em Nilópolis, na Baixada Fluminense, em 19 de agosto de 1935, Teresinha Malka Brandwain Taiba de La Sierra adotou o nome artístico de Tereza Rachel. Ela iniciou a carreira em 1955, na peça “Os Elegantes”, de Aurimar Rocha.
 
 
Prince
 
O músico norte-americano Prince morreu na manhã do dia 21 de abril, aos 57 anos. A notícia foi dada pelo site TMZ, dos Estados Unidos, e confirmada em seguida pelo agente do músico. De acordo o TMZ, foi aberta uma investigação sobre a morte do músico, em Paisley Park, onde Prince tinha casa e um estúdio. O cantor tinha sido hospitalizado com uma gripe. Considerado um dos ícones da música pop das últimas décadas, junto com Michael Jackson e Madonna, Prince Rogers Nelson nasceu 1958, em Minneapolis, Estados Unidos. Ele começou a carreira de cantor no fim dos anos 1970, alcançando maior notoriedade a partir dos anos 1980. 
 
 
Fernando Faro 
 
O jornalista, produtor musical e apresentador do programa "Ensaio", da TV Cultura, Fernando Faro, morreu às 23 horas do dia 24 de abril, no Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo, aos 88 anos, após permanecer internado por três meses. Sofreu uma infecção pulmonar. Nascido em Aracajú, Sergipe, em 21 de junho de 1927, Fernando Abílio de Faro Santos foi para a Capital paulista estudar na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, mas não chegou a completar o curso, ficando só até o terceiro ano. Em 1949, passou a trabalhar como repórter do jornal “A Noite”, depois foi para o Jornal “São Paulo”, que pertencia ao ex-governador do Estado de São Paulo, Ademar de Barros.
 
 
Umberto Magnani
 
O ator Umberto Magnani Netto, 75 anos, morreu na manhã do dia 27 de abril, vítima de acidente vascular encefálico hemorrágico. O ator havia sido internado na última segunda-feira no Hospital Vitória, no Rio de Janeiro. Na época, ele participava das gravações da novela “Velho Chico”, da TV Globo. Entre as produções das quais participou, estão as novelas “Mulheres Apaixonadas” (2003) e “Laços de Famílias” (2000), e, ainda, os filmes “A Hora da Estrela” (1985) e “Kuarup” (1989).
 
 
César Macedo
 
Conhecido por interpretar o personagem Seu Eugênio na versão original da "Escolinha do Professor Raimundo", César Macedo morreu na tarde do dia 30 de abril. O humorista não resistiu a uma infecção hospitalar. O ator, que tinha 81 anos, marcou muita gente com o personagem ao lado de Chico Anysio e todo o elenco. Ele ainda chegou a participar da "Escolinha do Gugu" em 2011. 
 
 
 
Cauby Peixoto 
 
Um dos maiores cantores da música brasileira, Cauby Peixoto morreu na noite do dia 15 de maio, aos 85 anos, em São Paulo. Ele estava internado desde o dia 9 de maio no Hospital Sancta Maggiore, no Itaim Bibi, na zona sul de São Paulo. Segundo o fã clube do artista, ele morreu por volta da meia-noite. O hospital informou que o cantor teve um quadro de pneumonia. Cauby Peixoto Barros nasceu em Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, em 10 fevereiro de 1931. Cresceu em uma família de artistas. Trabalhou no comércio até começar a participar de programas de calouros no fim da década de 40, como a “Hora dos Comerciários”, na Rádio Tupi. Gravou o primeiro disco pelo selo Carnaval, em 1951, com o samba “Saia Branca”, de Geraldo Medeiros, e a marcha “Ai, que carestia!”, de Victor Simon e Liz Monteiro. Foi um dos grandes nomes da chamada "era de ouro do rádio".
 
 
Renan Ribeiro 
 
O cantor sertanejo Renan Ribeiro, revelação no programa “The Voice Brasil”, morreu em um acidente de carro na noite do dia 29 de maio, na região de Mogi Mirim (SP), aos 26 anos. Ele foi semifinalista do programa em 2015 e um dos participantes mais populares do reality da TV Globo. A Polícia Rodoviária de São Paulo confirmou que o cantor dirigia sozinho uma caminhonete na Rodovia Engenheiro João Tosello, quando colidiu na transversal com uma carreta por volta das 22h50. Renan morreu no local, na altura do quilômetro 71, antes da chegada do socorro.
 
 
Ivan Cândido 
 
Aos 87 anos, o ator Ivan Cândido morreu no dia 31 de maio, vítima de pneumonia, no Hospital São Lucas, em Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro. O corpo do artista, que participou de novelas da Rede Globo, foi cremado no Cemitério do Caju. Ivan estreou no cinema em 1962 vivendo o repórter Caveirinha, no filme “Boca de Ouro”, de Nelson Pereira dos Santos. Já nas novelas e minisséries, o ator atuou em sucessos como “Irmãos Coragem”, de 1970, “Pecado Capital”, de 1975, e “Cobras e Lagartos”, de 2006.
 
 
 
Muhammad Ali
 
O lendário boxeador Muhammad Ali, um dos maiores esportistas do século XX, morreu no dia 3 de junho, aos 74 anos. Ele estava internado em um hospital de Phoenix, capital do estado norte-americano do Arizona, desde o início da semana, para tratar de problemas respiratórios. Muhammad Ali, que há 30 anos foi diagnosticado com a doença de Parkinson, era conhecido pelo título "O Maior" (The Greatest), por ter obtido três vezes - em 1964, 1974 e 1978 - o título de campeão mundial de pesos-pesados em uma carreira de 21 anos. 
 
 
Rubén Aguirre, o 
Professor Girafales 
 
O ator mexicano Rubén Aguirre, famoso por representar a personagem Professor Girafales, do seriado “Chaves”, morreu, aos 82 anos, no dia 17 de junho. A morte foi noticiada por seu companheiro de elenco, Edgard Vivar. "Meu professor favorito descansa em paz... Hoje meu grande amigo, Rubén Aguirre, parte deste plano. Sentirei muitas saudades", publicou ele em sua conta de Twitter junto com a última foto que tiraram juntos. Rubén Aguirre tinha diabetes e morreu depois de complicações em seu estado de saúde. Juntamente com “Chapolin Colorado”, o seriado infantil mexicano “Chaves” ganhou projeção mundial nas décadas de 1970 e 1980, protagonizadas pelo ator Roberto Gómez Bolaños, que faleceu em novembro de 2014.
 
 
 
 
Guilherme Karan
 
O ator e comediante Guilherme Karan morreu no dia 7 de julho, aos 58 anos, no Hospital Naval Marcílio Dias, no Lins de Vasconcelos, zona norte do Rio de Janeiro. Ele estava há aproximadamente dois anos internado devido à rara doença neurológica e hereditária conhecida como síndrome de Machado-Joseph. A mãe e dois irmãos dele também morreram pela doença. A irmã mais nova do ator também tem a síndrome. Karan iniciou a carreira na década de 1980 e logo se destacou em papéis cômicos, como no programa humorístico “TV Pirata”, em que ele interpretava diferentes personagens,
 
 
Hector Babenco
 
O cineasta argentino Hector Babenco, 70 anos, morreu no dia 13 de julho, vítima de uma parada cardíaca. Ele havia sido internado no Hospital Sírio-Libanês, na região central de São Paulo. Entre os filmes mais famosos de Babenco estão “Pixote”, “Carandiru” e “O Beijo da Mulher-Aranha”. Com essa última obra, de 1985, o cineasta conseguiu ser indicado ao Oscar de melhor diretor. 
 
Com “Carandiru”, Babenco ganhou vários prêmios dedicados ao setor no Brasil e no exterior. O filme foi baseado no livro “Estação Carandiru”, do médico Dráuzio Varella. A publicação aborda a rotina dos encarcerados na extinta unidade prisional, que ficava na zona norte da cidade de São Paulo. No local, em 2 de outubro de 1992, ocorreu a ação policial que resultou em 111 mortes e ficou conhecido como "Massacre do Carandiru".
 
 
 
Elke 
Maravilha
 
Morreu na madrugada do dia 16 de agosto, no Rio de Janeiro, a atriz, apresentadora, jurada e modelo, Elke Georgievna Grunnupp, a Elke Maravilha. Ela estava internada na Casa de Saúde Pinheiro Machado, após uma cirurgia para tratar uma úlcera, e teve falência múltipla dos órgãos. Nascida na Rússia em fevereiro de 1945, Elke mudou-se para o Brasil com a família aos seis anos de idade e passou a infância em um sítio em Itabira, no interior de Minas Gerais. 
 
 
Goulart 
de Andrade 
 
O jornalista Goulart de Andrade morreu na madrugada do dia 23 de agosto, aos 83 anos, em São Paulo. Ele sofria de problemas no sistema cardiorrespiratório. O carioca tinha 61 anos de profissão, nos quais atuou como jornalista, publicitário, radialista, ator, diretor de cinema e TV e também como empresário de comunicação. Na época, o jornalista comandava o programa “Vem Comigo”, na TV Gazeta, no qual estudantes de Jornalismo ouviam histórias de sua carreira. 
 
Gene Wilder, 
o Willy Wonka 
 
Gene Wilder, ator que interpretou Willy Wonka em "A fantástica fábrica de chocolate" (1971), morreu aos 83 anos, no dia 28 de agosto, por complicações do mal de Alzheimer, disse sua família. Um sobrinho do ator, Jordan Walker-Pearlman, afirmou que ele morreu em sua casa em Stamford, Estado de Connecticut, nos EUA. Segundo Jordan, Gene Wilder tinha sido diagnosticado com Alzheimer há três anos, mas escolheu não revelar sua condição ao público. "Ele simplesmente não conseguia aguentar a ideia de um sorriso a menos no mundo", disse o sobrinho.
 
 
Domingos Montagner
 
O corpo do ator Domingos Montagner, 54 anos, foi encontrado no final da tarde do dia 15 de setembro no município de Canindé de São Francisco, no sertão sergipano. Foi localizado preso nas pedras a cerca de 30 metros de profundidade no rio São Francisco, perto da Usina de Xingó, no Canindé. Pelo twitter oficial, a Rede Globo informou que, após o término das gravações, o ator almoçou e, em seguida, foi tomar um banho de rio. Montagner era o protagonista da novela “Velho Chico”, gravada na região do Canindé. O artista estava acompanhado da colega de elenco, Camila Pitanga, que viu o momento em que o ator mergulhou e não voltou à superfície. A atriz avisou a produção e as buscas pelo ator foram iniciadas. “Nosso amor e admiração por esse companheiro de trabalho tão querido e respeitado por todos. Sentiremos saudade”, disse o comunicado da emissora de televisão, na rede social. Segundo o governo de Sergipe, cerca de 50 profissionais das áreas de segurança e saúde participaram das buscas, com auxílio de um helicóptero e um bimotor.
 
 
Shimon Peres
 
O ex-presidente de Israel e vencedor do prêmio Nobel da Paz, Shimon Peres, morreu na noite do dia 27 de setembro em Tel Aviv, em Israel. Peres sofreu um derrame no dia 13 do mesmo mês e estava internado em coma induzido no Sheba Medical Center, em Tel Aviv. Ele foi primeiro-ministro de Israel duas vezes e presidente do país entre 2007 e 2014. Recebeu o Nobel da Paz em 1994 junto com Yitzhak Rabin, na época primeiro-ministro de Israel, e Yasser Arafat, presidente da Organização para a Libertação da Palestina, por negociarem a assinatura dos Acordos de Oslo, assinados entre Israel e a OLP, com mediação do presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton.
 
 
Cláudio Pastro
 
Morreu na madrugada do dia 19 de outubro, no Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo (SP), o artista sacro Cláudio Pastro. Ele estava internado e faleceu em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). “Cláudio Pastro deixou sua marca de artista sacro em inúmeras obras realizadas em igrejas e capelas pelo Brasil e no exterior, sua maior obra, porém, fruto de seu talento e trabalho e amor à Virgem Maria se encontra na Basílica Nacional da Padroeira do Brasil. Pastro também deixou obras em Sorocaba, como na igreja de Nossa Senhora do Rosário, no interior do Colégio Santa Escolástica. 
 
 
Carlos Alberto Torres
 
O capitão do tricampeonato da Seleção brasileira da Copa do Mundo de 1970, Carlos Alberto Torres, morreu no dia 26 de outubro, aos 72 anos, no Rio de Janeiro. Ex-lateral direito, atualmente um dos comentaristas do canal de televisão paga SporTV, Carlos Alberto sofreu um infarto em casa e não resistiu. Ele passou por diversos clubes de futebol, como Botafogo, Santos, onde foi pentacampeão, e Fluminense, time do coração, que também ganhou o tricampeonato. Ele encerrou a carreira no New York Cosmos, nos Estados Unidos. Como treinador, ganhou o título brasileiro de 1983, com o Flamengo; a Copa Conmebol, em 1993, pelo Botafogo; e o Campeonato Carioca, pelo Fluminense, em 1984.
 
 
 
Fidel
Castro
 
O ex-presidente e líder da revolução cubana, Fidel Castro, morreu anos 90 anos de idade, confirmou na madrugada do dia 26 de novembro seu irmão e sucessor, Raúl Castro. Em um anúncio na televisão, Raúl disse que era "com profunda dor" que confirmava a "morte do comandante Fidel Castro Ruiz", falecido às 22h29 de Havana do dia 25 de novembro de 2016. "Em cumprimento da expressa vontade do companheiro Fidel, seus restos mortais serão cremados", afirmou Raúl, demonstrando emoção ao ler o breve comunicado. Fidel Castro foi o herói histórico da esquerda moderna, o homem que mais desafiou os Estados Unidos. Mas, na opinião de líderes de centro-direita, Fidel era um ditador sanguinário e o culpado por isolar a ilha de Cuba por quase 60 anos de todo o mundo.
 
 
Dom Paulo
Evaristo Arns
 
Morreu no final da manhã do dia 14 de dezembro, em São Paulo, o cardeal dom Paulo Evaristo Arns. Ele estava internado desde o dia 28 de novembro com broncopneumonia, no Hospital Santa Catarina. Dom Paulo tinha 95 anos de idade, 71 de sacerdócio e 76 de vida franciscana. Era cardeal desde 1973 e foi arcebispo metropolitano de São Paulo entre 1970 e 1998. O trabalho pastoral de Arns foi voltado principalmente para os habitantes da periferia, os trabalhadores, para a formação de comunidades eclesiais de base nos bairros e para defesa e promoção dos direitos humanos. 
 
Carrie Fisher,
a princesa Leia 
 
A atriz Carrie Fisher, conhecida por interpretar a Princesa Leia Organa da saga “Star Wars”, morreu no dia 27 de dezembro de ataque cardíaco aos 60 anos. Na ocasião, um porta-voz da família, Simon Halls, deu a notícia à revista norte-americana “People”. “É com grande pesar que Billie Lourd confirma que sua amada mãe, Carrie Fisher, morreu às 8h55 desta manhã. Ela era amada pelo mundo e sua ausência será profundamente sentida. Nossa família agradece pelos pensamentos e orações”, declarou.
 
Debbie
Reynolds
 
Pouco mais de 24 horas após perder a filha, a atriz Carrie Fisher, faleceu no fim da noite do dia 28 de dezembro a artista Debbie Reynolds, aos 84 anos, vítima de um derrame. Seu filho, Tedd Fisher, informou a notícia da morte da mãe e destacou que o estresse pela perda da filha foi "demais" para Reynolds. Uma das últimas "rainhas" de Hollywood, Debbie Reynolds teve seu primeiro grande papel de destaque no clássico “Cantando na Chuva”, de 1952, com Gene Kelly. Ela foi indicada ao Oscar pela atuação no filme “A inconquistável Molly”, de 1964. Outros longas-metragens de destaque que participou foram “Será que ele é?” (1997) e “O Guarda-costas” (1992).
 

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar