Domingo, 19 de Novembro de 2017 ASSINE O DIÁRIO 15.3224.4123

Diário de Sorocaba

buscar

<< AGENDA CULTURAL Delicatessen Jazz e João Donato no palco do Municipal

Publicada em 20/09/2016 às 07:00
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Divulgação)
A quinta apresentação da 10ª Temporada de Música Instrumental Brasileira, iniciativa da MdA International com curadoria do músico sorocabano Marco de Almeida, com a junção de dois grandes nomes da cena musical - Delicatessen Jazz e João Donato – será na noite do próximo sábado (24), às 20h30, no Parque da Boa Vista. Apresentação gratuita, com ingressos distribuídos no local, a partir das 19 horas.
 
João Donato é um dos mais importantes compositores brasileiros. Em plena atividade, aos 82 anos de vida, viaja o mundo se apresentando com formações diferentes e lançando sempre novos CDs. Donato é uma referência fundamental para todas as gerações da MPB (Música Popular Brasileira). Com uma fusão do jazz com a Bossa Nova, o show do Delicatessen Jazz tem, por outro lado, surpreendido e encantado as mais variadas plateias. No show "Brasil na Trilha do Jazz", o grupo percorre o caminho do jazz desde sua aparição mais consistente no Brasil, contemplando um repertório que, de uma maneira ou de outra, faz parte do ambiente de comunicação da música popular americana com a música brasileira. Atualmente, o grupo é formado por Ana Kruger (voz), Nico Bueno (baixo) e Máno Gomes (bateria). 
 
Este encontro inédito entre um dos compositores brasileiros mais influenciados pelo Jazz – João Donato – e o grupo gaúcho Delicatessen Jazz, em Sorocaba, promete, assim, ser um dos momentos musicais mais esperados do ano na cidade e na região. Para este show, o grupo está trazendo, inclusive, um apanhado do melhor de seus três discos, pois está completando dez anos de carreira. Além de releituras suaves da obra de João Donato, como por exemplo “A Paz, A Rã e Caju em Flor” e ainda Clássicos dos 100 Anos da Música Brasileira influenciada pelo Jazz, como “Lover”, “Adeus América” e “Disseram que voltei americanizada”, entre outras. 
 
A FIBRA DE JOÃO DONATO – João Donato nasceu no Acre e começou a tocar acordeom e piano na infância. Muda-se para o Rio de Janeiro na década de 40 e, no início dos anos 50, já atua profissionalmente na noite carioca. Passa a se interessar por Jazz e Bossa Nova, tocando na boate Plaza, onde o titular era Johnny Alf. Logo faz amizade com Tom Jobim, João Gilberto e Luiz Bonfá, entre outros. Gravou alguns discos na década de 50 e, em 1959, foi para o México, seguindo para os Estados Unidos, onde morou alguns anos. Excursionou pela Europa com João Gilberto e, de volta ao Brasil, em 1962 gravou o disco "Muito à Vontade". Em seguida, voltou para os Estados Unidos, onde morou por mais dez anos. Lá gravou discos solo e com outros artistas e algumas de suas composições fizeram muito sucesso, como "Amazonas", "A Rã" e "Bananeira", caracterizadas pela originalidade rítmica levada ao piano. 
 
De volta ao Brasil, Donato lançou em 1975 "Lugar Comum", com parcerias com Caetano Veloso e Gilberto Gil, seguido por outras gravações. Suas músicas, com forte caráter instrumental, ganharam letras de parceiros diversos. Alguns exemplos são "A Rã" (com Caetano Veloso), "Amazonas" (com Lysias Ênio), "A Paz" e "Lugar Comum" (com Gil), "Nasci para Bailar" (com Paulo André Barata) e "Gaiolas Abertas" (com Martinho da Vila). Suas músicas com parceiros diversos foram gravadas por outros intérpretes também, como Gal Costa ("Flor de Maracujá"), Adriana Calcanhotto ("Naquela Estação"), Ângela Rô Rô ("Simples Carinho") e Nana Caymmi ("Até Quem Sabe"). 
 
Muito solicitado também como arranjador, Donato fez orquestrações para Fagner, Gal e Martinho da Vila. Em seguida, passou um período sem gravar no Brasil, até que em 1996 veio "Coisas Tão Simples", seguido por "Café com Pão", com Eloir de Moraes (1997), "Só Danço Samba" (1999) e os três volumes do Songbook João Donato, lançado pela editora Lumiar. Esses lançamentos trouxeram um dos mais originais compositores brasileiros de volta à cena na década de 90, fazendo shows e turnês pelo Brasil. Em 2000, a gravadora norte-americana Elephant Records lançou o CD "Amazonas", incluindo alguns dos maiores sucessos, como "Sambolero", "Vento no Canavial" e "Aquarius".
 
DELICATESSEN JAZZ - O Delicatessen Jazz, por seu turno, nasceu em 2006, através da parceria de Beto Callage, um aficionado e pesquisador do jazz, e Carlos Badia, músico gaúcho, que, ao descobrirem na voz delicada de Ana Krüger um potencial para a fusão do Jazz com a Bossa Nova, convidaram os músicos Máno Gomes (bateria) e Nico Bueno (baixo) para criar o grupo.
 
O show atual do Delicatessen Jazz tem surpreendido e encantado as mais variadas plateias. Esse encantamento é resultado de uma química perfeita que se cria entre uma cantora de enorme talento e empatia e o público, mas que se valoriza também pelos arranjos inspirados do grupo e pela riqueza instrumental e harmônica da música brasileira e do jazz. O disco de estreia, “Jazz + Bossa”, foi um dos maiores destaques da música independente brasileira nos últimos anos, com mais de 20 mil cópias vendidas, sendo 4 mil cópias da edição japonesa. Recebeu os mais entusiasmados elogios dos críticos brasileiros, como Nélson Motta, Juarez Fonseca e Roberto Mugiatti, além de ter sido indicado para o Prêmio Tim de Música em 2007, na categoria Melhor Disco em Língua Estrangeira. O CD “Jazz + Bossa” também foi lançado no Japão pela gravadora Rip Curl Records e continua conquistando os japoneses, sempre insaciáveis de Jazz e Bossa Nova.
 
Fugindo das obviedades, o repertório de seu segundo CD, My Baby Just Cares For Me, incluiu canções menos conhecidas e menos gravadas, como “My Melancholy Baby”, composta em 1911; “Be CarefullIt`s My Heart” e “Why Don`t You Do Right”, assim como novidades, como “Mickey”, da jovem cantora de jazz canadense Diane Nalini. Como no primeiro CD, apresentou mais duas composições dos produtores do grupo, Beto Callage e Carlos Badia, as canções “Amores Musicais” e “Delicatessen”, além de “Única Canção”, gravada especialmente para a edição japonesa.
 
Em 2009, o Delicatessen Jazz venceu o Prêmio da Música Brasileira (antigo Prêmio TIM de Música), a maior premiação da música brasileira, pelo disco “My Baby Just Cares For Me”, na categoria Melhor Disco em Língua Estrangeira, e o Prêmio Açorianos de Música, nas categorias Jazz-Melhor Disco, Jazz-Melhor Intérprete, Jazz-Melhor Instrumentista e Jazz-Melhor Compositor. Há dois anos, o Delicatessen Jazz lançou o terceiro CD Goodnight Kiss, mantendo seu estilo intimista, cool e requintado e buscando surpreender e reconstruir, através dos standards do Jazz e da Bossa Nova, novos ângulos e possibilidades musicais. Mais uma vez, o CD ganhou o Prêmio da Música Brasileira na categoria de língua estrangeira.
 
Nos últimos três anos, o Delicatessen realizou mais de 150 apresentações por todo o País (Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, São Paulo, Rio de Janeiro e cidades do Interior), além de Buenos Aires (Argentina) e Assunção (Paraguai). No final de 2009, realizou apresentações em Creta (Grécia).
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar