Sexta-Feira, 29 de Maio de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< EDUCAÇÃO Região avança nos níveis de Educação

Publicada em 28/08/2016 às 06:40
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A EE ?Arthur Cyrillo Freire? obteve uma das melhores notas do município (Fernando Rezende)
A Região Metropolitana de Sorocaba está avançada em todos os níveis de Educação em suas escolas estaduais, como aponta o Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp), divulgado pela Secretaria da Educação do Estado em fevereiro, data em que saíram as notas do Saresp. O resultado positivo avançou para o melhor índice da história na educação pública estadual, e é acompanhado pelo Estado. No ciclo 1 do Ensino Fundamental, a região obteve média 5,38 no ano passado, contra 4,86 em 2014; no ciclo 2, o desempenho de 2015 chegou a 3,15 contra 2,86 no ano anterior; e no Ensino Médio, foram 2,36 no ano passado e 2,13, em 2014. A EE “Arthur Cyrillo Freire”, situada na Vila Jardini, obteve uma das melhores notas do município, no qual conseguiu a primeira colocação no Ensino Médio. O Ensino Fundamental ficou entre os 10 primeiros. 
 
“A gente faz um trabalho de valorização das avaliações, independente de qual tipo, seja interna ou externa. Tenho uma equipe de professores que trabalha muito essa questão, as avaliações foram mudando ao longo do tempo, quebramos alguns tabus”, afirma a diretora da unidade, Simone Proença Almeida. “Aprimoramos projetos pedagógicos dentro da escola, o que acabou resultando na nota positiva, que viemos adquirindo.” Simone já esperava o bom resultado na prova, pois os estudantes sempre demonstraram interesse. “A gente conversava na coordenação que, se a nota fosse abaixo da meta, iríamos ficar tristes, mas os alunos demonstravam interesse e eram alvos de elogios dos professores, eles nos deram esse resultado positivo.” A unidade escolar preparou-se durante todo o ano para conseguir uma boa nota, como afirma a diretora. “Os professores trabalharam as avaliações anteriores.”
 
Estatisticamente, a diretora concorda que a Educação no município mudou para melhor, e acredita que as escolas do interior ainda levam um pouco mais de vantagem do que as unidades da Capital. “Nas escolas do interior, vemos a participação da família, o bom desempenho da escola e alunos, e isso influencia muito. São resultados decorrentes de um conjunto de situações em que vivemos.” De acordo com o cálculo do Idesp, a Secretaria une o resultado do Saresp em provas de Língua Portuguesa e Matemática à taxa de aprovação, reprovação e abandono. A comparação entre 2014 e 2015 mostra um avanço, no qual a rede estadual passou de 4,76 para 5,25 no ciclo 1 do Fundamental; no ciclo 2, passou de 2,62 para 3,06. No Ensino Médio, a pontuação foi de 1,93 para 2,25 e o ciclo 2 do Fundamental e Ensino Médio tiveram o maior avanço da história do Idesp, 0,44 e 0,31 respectivamente. 
 
“É evidente que há muito a melhorar, que há um longo caminho para que esses índices sejam comparados aos dos melhores países em educação. Mas os resultados mostram que ações empregadas estão repercutindo positivamente no aprendizado dos estudantes”, afirma o secretário de Estado da Educação, José Renato Nalini. Somente no ciclo 1, as escolas paulistas cumpriram 74,4% (5,25) da meta estabelecida para 2030, que é sete, e no ciclo 2 do Fundamental, o índice de 3,06 representa 50,6% da meta 6. No Ensino Médio, os 2,25 são 44,8% da meta 5. No ano passado, 14 unidades escolares no município não participaram do Saresp, já que estavam ocupadas por estudantes que eram contra a reestruturação da rede de ensino pelo Governo do Estado, que fecharia 94 escolas estaduais, transformando-as em ciclo único para este ano, porém o governador Geraldo Alckmin suspendeu as mudanças após protestos.
 
SARESP – As provas do Saresp 2015 deram-se nos dias 24 e 25 de novembro, e a rede estadual paulista obteve os resultados mais avançados nos últimos oito anos. Provas de Língua Portuguesa e Matemática foram aplicadas para todos os alunos do 3º, 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio. Todas as classes tiveram crescimento em Matemática, com o melhor resultado da história desde 2008. Este é o segundo ano consecutivo em que os resultados da Educação melhoraram em quase todas as séries. Na disciplina de Língua Portuguesa, somente o 3º ano do Ensino Fundamental apresentou declínio em relação a 2014, todas as outras séries avançaram na comparação com o ano anterior. O 3º ano do Ensino Médio teve o melhor resultado desde 2012, já os 5º, 7º e 9º anos do Fundamental tiveram o melhor resultado desde 2008.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar