Quinta-Feira, 27 de Fevereiro de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< ESPORTE Técnico em segurança do trabalho incentiva garotos Jessé Pereira de Lima foi selecionado para conduzir a Tocha Olímpica na Cidade

Publicada em 09/07/2016 às 22:28
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

(Arquivo Pessoal)
Reconhecer pessoas que usaram o movimento para construir histórias genuínas e inspiradoras por meio de atividades físicas, esporte ou dança, foi o objetivo de uma das patrocinadoras das Olimpíadas Rio 2016 em sua seleção nacional de condutores para o Revezamento da Tocha Olímpica. 
 
O responsável pelo projeto “Pé na Bola, Pé na Escola”, o técnico em segurança do trabalho, Jessé Pereira de Lima, foi selecionado para carregar a tocha em Tatuí (SP), no dia 17 de julho. O projeto nasceu há aproximadamente dois anos, no bairro Árvore Grande, onde ele mora. “Percebia que as crianças do bairro tinham grande tempo ocioso e que mais horas ou menos horas, elas acabariam fazendo opções erradas na vida, entrando em algo que poderia comprometê-las, e decidi ajudar”, explica.
 
Por gostar muito de futebol, o técnico em segurança do trabalho montou o projeto voltado especificamente para essa modalidade esportiva. “Além de promover o esporte, faço com que essas crianças pensem de maneira diferente, através de um diálogo com elas”, conta Lima, que conseguiu um espaço cedido pela EE “Professor Aggeo Pereira do Amaral” para os treinos.
 
Desde então, em todos os sábados, das 14 às 17 horas, exceto em feriados, Lima reúne uma média de 15 crianças, entre 10 e 15 anos, para praticarem futebol. “Essa experiência de carregar a tocha é um incentivo a mais para provar que posso atuar para uma sociedade mais ativa. O espírito olímpico impulsiona-me a mostrar que eles podem fazer a diferença e que devem lutar pelo que eles querem, canalizando suas energias para seus objetivos de vida”, ressalta.
 
Em julho do ano passado, quando foi contratado como técnico em segurança do trabalho, Lima foi incentivado pelo seu coordenador a participar de uma campanha interna para selecionar seus condutores, com o conceito #IssoÉOuro, e se recorda do momento em que foi selecionado. “Como já havia comentado com o meu coordenador sobre o meu projeto, ele falou para eu me inscrever. Me inscrevi e mandei fotos. Fiquei na expectativa e lembro até hoje o dia em que me informaram. Foi um momento muito emocionante”, explica. 
 
“De lá para cá, tenho acompanhado tudo o que acontece, tanto dentro da empresa, como fora. Para mim, a experiência está sendo extraordinária por ser algo totalmente diferente do que já vivi. São informações e momentos diferentes. Às vezes, chego para a minha esposa e ela ri, porque só falo de Olimpíadas para ela. É um momento único.”
 
De acordo com Lima, essa experiência será enriquecedora para seu projeto, ampliando sua visão sobre a importância do esporte para o futuro dos garotos. “Essa oportunidade fez com que eu melhorasse meu empenho, pesquisasse mais para dar aulas para eles, mostrando que não devemos pensar somente no nosso bem-estar, mas também no bem-estar das outras pessoas. Quero usar essa experiência como um incentivo a mais, conversar com os meninos sobre tudo isso e mostrar que o esporte pode mudar a vida de muita gente. Antes, eu podia falar como espectador, mas agora posso falar como condutor, o que é muito mais emocionante”, conclui.
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar