Terça-Feira, 31 de Março de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Motoristas de ônibus já têm sua pauta de reivindicações para 2016

Publicada em 15/03/2016 às 06:54
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Em assembleias realizadas na semana passada nas principais cidades da base territorial de representação do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região, os trabalhadores em transportes rodoviários dos setores urbano, intermunicipal, rodoviário, de fretamento e de cargas da área aprovaram as reivindicações da campanha salarial 2016, que serão encaminhadas às empresas até 31 de março para o início das negociações. Este ano a categoria reivindica correção salarial segundo o ICV-Dieese (Índice do Custo de Vida do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos) do período de 1º de maio de 2015 a 30 de abril de 2016, mais aumento real de 6%. O piso salarial da categoria varia conforme o setor do transporte, o município no qual o serviço é prestado e a função do trabalhador. Atualmente, no setor urbano de Sorocaba, o piso salarial do motorista é de R$ 3.100,00.

Entre as cláusulas econômicas da pauta de reivindicações aprovadas, estão o aumento no tíquete-refeição/diária para R$ 23,00 (hoje esse benefício está em R$ 19,00) e o aumento na participação nos lucros e resultados (PLR) para o valor de um piso salarial da categoria - hoje a PLR é de R$ 1.300,00. No setor urbano de Sorocaba e de Votorantim, a categoria reivindica ainda a contratação de agentes de bordo em quantidade que iguale ao número de motoristas. Os trabalhadores também irão lutar igualmente para garantir nesta campanha salarial a manutenção de todos os direitos já conquistados em campanhas salariais passadas, como cesta básica, plano de saúde, seguro de vida e PTS (prêmio por tempo de serviço), entre outros benefícios.

A data-base da categoria é 1º de maio. Atualmente, o Sindicato representa mais de 10 mil trabalhadores, entre motoristas, agentes de bordo e funções de apoio. As negociações com o setor patronal começarão após as pautas de reivindicações serem protocoladas nas empresas e no Ministério do Trabalho e Emprego.

 

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar