Terça-Feira, 26 de Maio de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Propostas predominam temas de debate com candidatos na Uniso

Publicada em 22/08/2012 às 09:16
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Pouco foi dito sobre os pedidos de impugnação de candidaturas no segundo debate entre os candidatos a prefeito de Sorocaba, na noite de ontem, na Universidade de Sorocaba (Uniso), sob mediação da professora e jornalista Andrea Sanhudo Torres. Raul Marcelo (Psol), Antônio Carlos Pannunzio (PSDB), Iara Bernardi (PT) e Renato Amary (PMDB) trocaram perguntas e propostas com transmissão ao vivo pela rádio Band FM. Só nas considerações finais, Amary referiu-se à decisão do TRE-SP de indeferir sua candidatura. “Ninguém vai ganhar no tapetão. Essa eleição será decidida nas urnas”, declarou. 

Apenas os candidatos, seus assessores, imprensa, além de alunos e funcionários da Uniso, puderam entrar no auditório. Havia monitores em vários locais do Campus Cidade Universitária para a comunidade acompanhar o debate. Os temas abordados foram bastante propositivos e houve poucos momentos de tensão. 

Já na primeira pergunta, quando Pannunzio estava respondendo por que queria ser prefeito de Sorocaba, Renato Amary pediu direito de resposta, alegando que o tucano teria ofendido-o ao dizer que nenhuma creche foi construída em seu governo. Entretanto a comissão de ética nomeada pela Uniso não considerou que houve ofensa moral e não concedeu a resposta. 

No bloco de perguntas feitas por integrantes da imprensa, Iara respondeu sobre seu projeto de criminalização da homofobia. Já Pannunzio teve de falar sobre a matéria de um programa de TV nacional sobre a falta de vagas em creches na cidade. Raul Marcelo respondeu sobre acessibilidade digital nas unidades públicas. Renato Amary foi questionado sobre o tratamento de resíduos sólidos. 

Entre as perguntas feitas pela comunidade acadêmica, a saúde pública foi tema de duas delas; para Iara, sobre o funcionamento do Sistema Único de Saúde e, para Pannunzio, sobre as pesquisas acadêmicas na área da saúde. Raul Marcelo falou sobre a qualificação profissional para as indústrias da cidade. Renato Amary referiu-se a seus planos sobre a ampliação do aeroporto de Sorocaba. 

O bloco seguinte foi de perguntas entre os candidatos. O diálogo mais acalorado foi justamente o primeiro. Renato Amary perguntou a Raul Marcelo sobre seu apoio ao Movimento dos Sem-Terra, a quem atribuiu “invasões de territórios privados” e perguntou de que lado o psolista vai ficar. “Convido o senhor a visitar uma família que mora num barraco de lona, para ver que não se trata com polícia”, respondeu. Amary alegou ter dado dignidade a famílias que mandou para o Habiteto. 

Iara perguntou a Pannunzio sobre a falta de políticas para o esporte, e o tucano admitiu que não foi prioridade deste governo e precisa de mais atenção na próxima gestão. Pannunzio perguntou sobre qualificação profissional para Renato Amary, que lembrou ter sido criador da Universidade do Trabalhador. Raul perguntou a Iara sobre os serviços de saúde. 

Quatro ouvintes da Band enviaram perguntas. Renato Amary respondeu sobre combate ao tráfico de drogas e tratamento para usuários; Iara, sobre problemas de congestionamentos no trânsito. 

No fim do debate, houve questionamentos de integrantes da plateia, escolhidos pela comissão de ética. Pannunzio falou sobre a possibilidade de ter minoria na Câmara. Raul Marcelo foi perguntado sobre a participação popular. Renato respondeu sobre a “gestão caótica” da Urbes. Iara respondeu sobre descaso com o patrimônio histórico. Em seguida, os quatro fizeram as considerações finais. 
 
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar