Segunda-Feira, 13 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Expedição no rio Sorocaba abre comemorações do Dia Mundial da Água

Publicada em 22/03/2014 às 15:38
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O Dia Mundial da Água e do Rio Sorocaba foram comemorados neste sábado (22), quando cerca de 80 pessoas participaram da 6ª edição da expedição pelo principal rio da cidade, divididos em botes e caiaques. Promovida pela Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, a descida percorreu um trecho de aproximadamente quatro quilômetros, partindo próximo à ponte da rua Padre Madureira até o Parque das Águas, no Jardim Abaeté. O acontecimento também deu início à programação da Semana da Água, que inclui atividades que serão desenvolvidas até abril. Participaram da expedição, os grupos do Sesc, Corpo de Bombeiros, Polícia Ambiental, Caturros Navegantes, e Prefeituras de Sorocaba e Votorantim. “Navegar no rio significa entregá-lo de volta à comunidade e ser reincorporado como seu patrimônio cultural”, afirma a secretária de Meio Ambiente, Jussara de Lima Carvalho.  

Atualmente, a cidade tem 96% de seu esgoto tratado e Jussara reconhece que despoluir o rio não é uma tarefa fácil, porém ressalta que o trabalho deve ser em conjunto com municípios da região, através do Comitê de Bacias do Rio Sorocaba e médio Tietê. Votorantim e Ibiúna, por exemplo, têm 60% do esgoto tratado e isso interfere na qualidade da água em Sorocaba. “Do mesmo jeito que em Cerquilho, a água que chega saindo daqui melhorou significantemente, tanto que eles gastam menos para a limpeza.” Ela cita ainda as cidades de Vargem Grande Paulista e Cotia, que também pretendem desenvolver ações para a limpeza do rio. “Mas, a cada ano de expedição, encontramos um rio mais bonito e identificamos algo que precisa ser corrigido.” Jussara diz que a revitalização em torno do rio, como a implantação de ciclovias, e os projetos de educação ambiental, contribuem para o processo de limpeza, que, além do tratamento de esgoto, inclui a poluição difusa, quando resíduos das ruas e de agricultura chegam à água por meio da chuva. “Estamos bem, eu não nadaria ainda nas águas do Rio Sorocaba, mas já temos acréscimo de biodiversidade muito grande.” Também participaram da atividade os secretários de Serviços Públicos, Clebson Aparecido Ribeiro, e o de educação, José Simões de Almeida Junior.

TRATAMENTO – Desde 2000, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) já investiu R$ 150 milhões no ‘Programa de Despoluição do Rio Sorocaba’, que, segundo o diretor geral da autarquia, Adhemar José Spinelli Júnior, contempla a implantação de 28 quilômetros de interceptores e construção de 12 estações de tratamento ao longo do rio. Para medir a qualidade da água e consequentemente a eficácia do tratamento realizado, o Saae faz uma medição mensal a cada 200 metros antes e depois das estações no rio. Spinelli afirma que, por questões jurídicas, as obras da estação de Aparecidinha e do coletor do Rio Piragibu, que estão dentro do programa de despoluição, foram interrompidas; entretanto o Saae está programando a retomada dos trabalhos. 

Um dos principais problemas que interfere na qualidade da água são os esgotos despejados irregularmente no curso do rio. “O Saae realiza fiscalização e identifica ou recebe denúncia desses pontos. O proprietário é notificado, recebe multa e em último caso ocorre a supressão no fornecimento de água”, explica o diretor. Spinelli afirma que o munícipe deve ligar o esgoto à rede existente no local, e ressalta que toda a região urbana é dotada de interceptores. “Se, por algum motivo, ele não conseguir ligar, deve fazer uma fossa séptica para evitar o lançamento do esgoto.” 
 
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar