Domingo, 31 de Maio de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Plebiscito sobre desmembramento de George Oétterer ficará para 2014

Publicada em 28/06/2013 às 22:15
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

Com cerca de 30 mil habitantes, a vizinha cidade de Iperó prossegue no meio de um embate que se perdura há anos, em torno do desmembramento do bairro de George Oétterer, na divisa com o município de Sorocaba. Reivindicando melhorias de infraestrutura, atendimento médico, transporte, abastecimento de água e pavimentação, os moradores se uniram e coletaram 1.200 assinaturas em 2011, favoráveis à transferência do bairro para a jurisdição administrativa de Sorocaba. Em abril, houve inclusive uma audiência pública na Câmara Municipal de Sorocaba para discutir o assunto, entretanto nenhum dos 11 vereadores de Iperó compareceu. "Ocorreu falta de comunicação, pois não houve um convite oficial. Mas somos contra o desmembramento, pois os problemas só seriam repassados para outra cidade", afirmou ontem à tarde o novo prefeito iperoense, Vanderlei Polizeli (PSDB), que está no início de seu primeiro mandato, em visita ao DIÁRIO. 

O bairro de George Oétterer, incluindo Campos Vileta, possui aproximadamente 10 mil moradores, o que corresponde a um terço da população da cidade de Iperó e perder essa parcela também significaria menos repasse de verbas dos governos estadual e federal. Para o prefeito, a alegação de que o local fica longe do centro de Iperó não é o suficiente para resultar no desmembramento. "Há uma subprefeitura no bairro, onde o vice-prefeito está todos os dias para dialogar com a população, e também foram eleitos três vereadores que moram ali. Temos 236 funcionários da Prefeitura que trabalham no bairro e a transferência para Sorocaba resultaria em diversas perdas", continua o prefeito, lembrando, por outro lado, uma área do bairro Campos Vileta foi ocupada irregularmente e há 43 anos existe um processo no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a ocupação ilegal. 

Seguindo a determinação da Lei Complementar Federal 28/1975, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE/SP) tem entre abril de 2014 a abril de 2015 para realizar um plebiscito que definirá o destino de George Oétterer. A legislação estabelece que "qualquer alteração territorial de Município somente poderá ser feita no período compreendido entre dezoito e seis meses anteriores à data da eleição municipal". 

OBRAS - O prefeito Vanderlei Polizeli lembrou também, aqui no DIÁRIO, que desde outubro um convênio com o Governo do Estado permitiu que o bairro de George Oétterer recebesse uma obra orçada em R$ 9,68 milhões, com a Prefeitura de Iperó já realizando toda a parte de drenagem, tubulação, calçadas e pavimentação. As chuvas e um período de alterações contratuais para definição de pagamento e medição fizeram com que a obra ficasse paralisada por alguns dias, mas Polizeli espera que em até um ano tudo esteja concluído. "A maior dificuldade era firmar convênio com o Estado, pois sozinha a cidade não conseguiria bancar uma obra desse porte. Há projetos para construção de mais três escolas no bairro, desenvolvimento de programas educacionais e regularização fundiária. Deverão ser investidos R$ 3,8 milhões na obra de uma escola estadual, aguardamos liberação para construção de uma creche e melhorias no saneamento básico", acrescenta o prefeito. 



Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar