Terça-Feira, 26 de Maio de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Monólogo `Estamira' - Beira do mundo' chega hoje ao palco do Sesc

Publicada em 15/05/2013 às 22:12
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O monólogo "Estamira - Beira do mundo", grande sucesso de público e crítica, entra em cena no Teatro do Sesc de Sorocaba (rua Baräo de Piratininga, esquina com a avenida Washington Luiz - Jardim Faculdade), nesta quinta-feira (16), às 20 horas. Dani Barros e Beatriz Sayad assinam juntas a dramaturgia da peça, do premiado documentário "Estamira", de Marcos Prado, sobre a história real de uma mulher descoberta pelo cineasta no Aterro Sanitário do Jardim Gramacho e que se tornou personagem central de seu filme. Os ingressos, porém, estão esgotados.

O enredo retrata a história de uma catadora de lixo, doente mental crônica, com uma percepção do mundo surpreendente e devastadora. Não é apenas um documentário sobre Estamira, mas também um depoimento pessoal e artístico de Dani Barros que reconheceu na história da personagem parte de sua experiência pessoal. O cenário é o lixão, porta pela qual adentra-se ao universo de Estamira. Lá são encontradas cartas, memórias e histórias que não se consegue jogar fora.

Com uma linguagem que passa do grotesco ao sublime, do drama à comédia, o espetáculo é palco para a tensão entre a loucura e a normalidade, a realidade e a ficção, assim como era Estamira. Segundo a diretora Beatriz Sayad, há histórias que de tão lindas merecem ser contadas e, de tão fantásticas, se tornam teatrais. "Histórias que são duras demais para serem lembradas, caras demais para serem esquecidas. E que encontram no teatro uma morada".

O documentário, lançado em 2005, foi dirigido por Marcos Prado e foi premiado em diversos Festivais no Brasil e no mundo, incluindo melhor documentário pelo júri oficial no Festival do Rio de Janeiro, na Mostra de Cinema de São Paulo e o Grande Prêmio do Festival Internacional de Documentário de Marseille.


Violinista sola com a Sinfônica

A Orquestra Sinfônica de Sorocaba fará nesta quinta-feira (16), às 20 horas, na Sala Fundec (rua Brigadeiro Tobias, 73 - Centro), seu concerto mensal de maio com a participação especial do violinista Alessandro Borgomanero, como solista.

Sob a regência do maestro Eduardo Ostergren, a Orquestra Sinfônica de Sorocaba vai tocar nesta noite as obras "O Barbeiro de Sevilha", de Gioacchino Rossini; "As Alegres Comadres de Windsor", de Otto Nicolai; a marcha "Pompa e Circunstância nº 1", de Edward Elgar; "Serenata Melancólica, para violino e orquestra, op. 26", de Piotr Tchaikovsky; "Allegro Moderato" e "Romance/Allegro con Fuoco", do "Concerto para violino nº 2, em ré menor, op. 22", de Henri Wieniawski. "Tenho procurado convidar solistas que não só entretenham o público com sua arte, mas que também possam servir de paradigmas para o nosso trabalho. Alessandro Borgomanero é um violinista que exibe um sólido domínio técnico e timbrístico do instrumento. Espero, sinceramente, que tanto os músicos da nossa Sinfônica, como nossos alunos da Fundec e o público em geral saiam inspirados deste concerto", destaca o maestro Eduardo Ostergren.

A Orquestra Sinfônica de Sorocaba conta, atualmente, com 40 músicos, entre profissionais sorocabanos e da região. O grupo, que existe há 63 anos, tem o objetivo de difundir músicas eruditas e populares ao público sorocabano. Já Alessandro Borgomanero, nascido em Roma, formou-se com o título de Mestre em 1992 na Universidade de Música Mozarteum, de Salzburg. Continuou seus estudos com renomados violinistas como Boris Belkin (Accademia Chigiana, Siena), Salvatore Accardo (Cremona) e Rodolfo Bonucci (Santa Cecília, Roma). Apresentou-se como solista frente a várias orquestras, como Orquestra de Câmara de Budapeste, Salzburg Chamber Soloists, Philadelphia Virtuosi Orchestra, London Mozart Players, Virtuosos de Salzburgo, Orquestra de Câmara de Berlim, Orquestra Sinfonietta Salzburg, Bachiana Filarmônica, Orquestra Sinfônica de Vaasa (Finlândia) e com a maioria das orquestras sinfônicas do Brasil.


Jazz Sinfônica do Estado celebra o choro e a MPB em concerto em Tatuí 

A Jazz Sinfônica, corpo artístico da Secretaria de Estado da Cultura, segue sua série de apresentações pelo interior de São Paulo e nesta sexta-feira (17), às 20h30, traz ao município de Tatuí programa cujo enfoque é apresentar um panorama do repertório do grupo, com solo, aliás, de alunos do próprio Conservatório Dramático e Musical "Dr. Carlos de Campos". O concerto acontece às 20h30, no Teatro Procópio Ferreira, do CDMCC. Ali, sob a regência do maestro Fábio Prado, regente-adjunto do grupo, a Jazz Sinfônica vai apresentar um repertório de choros e músicas de grande sucesso da MPB. Abrindo o programa, "Beatriz", de Edu Lobo e Chico Buarque, ganha o primeiro solo, prata da casa, do contrabaixista Ivan Decloedt. Na sequência, "A Sereia voou", de Mozart Terra, e "Chorinho para Ela", composição, também prata da casa, do guitarrista Fernando Corrêa. "Estate", de Bruno Martinho e Bruno Brighetti, ganha solos de saxofone de Josué dos Santos e "Choro pro Miudinho", de Dominguinhos, solos de flauta e saxofone de Marta Ozzetti e Carlos Alberto Alcântara. "Os concertos cujos músicos prata da casa são os solistas são sempre uma  verdadeira festa. É uma excelente oportunidade dos músicos improvisarem e revelarem seus talentos", destaca o maestro.   

O programa tatuiano da Jazz Sinfônica do Estado traz ainda "Lira do Lyra - Fantasia sobre temas de Carlos Lyra", de Cyro Pereira; "Vera Cruz", de Milton Nascimento; "Olé", de Nélson Ayres, e "Aquarela para o Ary - Fantasia sobre temas de Ary Barroso", também do maestro Cyro Pereira. 

Os ingressos custam R$ 20 (R$ 10 idosos, estudantes e aposentados). 


Dupla Renan & Rangel lança DVD dos 15 anos de carreira

Os irmãos Renan e Rangel lançam nesta sexta-feira (17), às 23 horas, no Santa Victoria Città, à avenida Antônio Carlos Cômitre, 520, Parque Campolim, o primeiro CD e DVD ao vivo de sua carreira. A data foi escolhida para celebrar os 15 anos de carreira da dupla sorocabana e marcar o início de uma nova turnê que começará na cidade e se estenderá por diversos estados brasileiros. "Apresentaremos músicas próprias e outras de artistas renomados", revela Rangel. 

As letras da maioria das 18 músicas do novo CD e DVD são de autoria de Renan (Renan Leonel de Freitas, 28 anos). Rangel (Rangel Luciano de Freitas, 35) aposta que três têm potencial para estourar: "Ai Como Eu Sofro", "Blá Blá Blá" e "Desapego". Esta, aliás, não será a primeira turnê da dupla. Em abril de 2012, eles se apresentaram em uma série de shows em Luanda, na África. Porém, a que se iniciará agora deverá ser mais impactante. "Investimos em recursos tecnológicos que garantirão mais emoção e interatividade com o público durante os shows", antecipa Rangel. 

Atualmente, Renan & Rangel realizam uma média de 15 shows mensais. Figuram, inclusive, na seleta lista de residentes da badalada Wood's, de São Paulo, considerada uma das principais casas noturnas do Brasil. Sobre a motivação para continuar nesse concorrido mercado, eles explicam que é o amor existente entre a família: "Nossos pais cantavam e chegaram a gravar alguns LPs. Por isso, a nossa carreira também tem um significado sentimental. É como se fosse a continuação da que eles iniciaram muitos anos atrás. Além disso, todos nós nos amamos muito, resumem.


 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar