Domingo, 19 de Janeiro de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Juventude e personalidade marcam primeiro CD do cantor Armando Fernal

Publicada em 15/05/2012 às 01:02
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

O jovem de 21 anos também é compositor de suas músicas (Foto: Divulgação/José Neto)
A juventude não impede que a personalidade do cantor e compositor sorocabano Armando Fernal, 21 anos, esteja explícita nas músicas do seu CD “I”, que será lançado no próximo dia 2 de junho, às 20 horas, no Teatro da Fundec (Rua Brigadeiro Tobias, 73, Centro), com entrada gratuita. Boa poesia, voz afinada, violão muito bem guiado e som “orgânico” são as características do show que terá, além de Fernal no violão e voz, Marcelo Bottaro (contrabaixo) e Lucas Marx (bateria) – que gravaram o disco em um estúdio na cidade de Alambari. A produção ficou por conta de Maurício Trindade. 

O cantor diz que o formato de “power trio” (violão, baixo e bateria) traduzem melhor a sua intenção nas composições. “É com o violão que componho, então eu já penso nas músicas em um formato que dê para tocar só com voz e violão. Acho que acrescentar baixo e bateria é suficiente para evitar ‘maquiagem’ na sonoridade”, explica. Mas, a tendência um som “cru” abre espaço para o piano de João Leopoldo, que participa de duas faixas do novo CD: “Tira o salto” e “Perdão”. 

Nascido e criado em Sorocaba, Armando expressa sua intensa paixão pela música desde os oito anos de idade, quando o pai, Adriano, tocava violão e ele, curioso, tentava fazer o mesmo. Quando conseguiu tirar algum som – segundo ele, algo parecido com “Asa Branca”, de Luiz Gonzaga – ficou fascinado e decidiu que queria aprender. 

Buscou algumas aulas para se desenvolver e, com 14 anos, entrou para a escola IGT (Instituto de Guitarra e Tecnologia), em São Paulo, e, em pouco tempo, já começou a tocar e compor suas primeiras músicas. Como precisaria escolher entre jazz, fusion ou rock, e não queria nenhum dos três, abandonou o curso e criou sua própria metodologia para tocar. 

As músicas de Armando Fernal são todas fruto de muitas experiências pessoas, bem descritas em poesias densas e elaboradas. Para acompanhar, seu violão é tocado com notas abertas e muitas cordas soltas, que conferem um clima agradável ao seu som. “Como a ideia era tocar voz e violão, os acordes precisam ser cheios, robustos, para compensar a falta de muitos instrumentos. Eu gosto disso”, conta. 

Compositor contumaz, de cinco anos para cá, o jovem fez uma seleção natural de canções que faziam sentido para a sua trajetória. Segundo ele, as atemporais permanecem até hoje em seu repertório, definido pelo próprio como “uma MPB com toda a sonoridade e charme do pop. E tem também o lado refinado do jazz e da música brasileira”. Estas músicas fazem parte de “I”. 

Armando começou a se apresentar em bares de São Paulo e Sorocaba, além dos shows e festivais de música. Foi finalista do Prêmio Sorocaba de Música – Festival Nacional de MPB Livre, nos anos de 2010 e 2011. Participou da abertura do show de Oswaldo Montenegro e também foi eleito o melhor intérprete do Festival de MPB de Indaiatuba 2011.

Quatro faixas estão disponíveis no site do cantor para audição: “Cara, eu te amo, mas eu vou deitar”, “O que faço toda noite”, “Impossível” e “X1000000”. O endereço eletrônico é www.armandofernal.com.br. 

  

Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar