Segunda-Feira, 6 de Julho de 2020

Diário de Sorocaba





Leia a edição impressa na íntegra


Clique aqui para acessar a edição do dia
buscar

<< Estudantes promovem ação doando sangue para ajudar a salvar vidas

Publicada em 25/11/2011 às 19:53
Compartilhe: IMPRIMIR INDICAR COMENTAR

A professora Ana Paula disse que mesmo com medo os alunos ficam ansiosos para contribuir com a campanha (Foto: Fernando Rezende)
O Dia Nacional do Doador de Sangue rendeu ações positivas na cidade ontem. O Hemonúcleo, que funciona no Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS), junto com a Associação Beneficente de Coleta de Sangue (Colsan), recebeu ontem um grande número de doadores e entre eles, cerca de 50 alunos da Escola Estadual "Antônio Padilha", que fizeram essa ação pela primeira vez visando ajudar a salvar vidas. 

Conforme a professora Ana Paula Damásio, que organizou a campanha, esse trabalho com os alunos existe há oito anos e sempre na data que homenageia os doadores de sangue os alunos são convidados a participar da ação social. “Eles sentem medo, ansiedade e questionam sobre como vai ser, o que vão sentir. Mas trabalhei com eles a conscientização em ajudar o próximo, fazer a diferença e servir de incentivo para as outras pessoas. Quanto mais, melhor”, ressaltou a professora.

Na sala de espera muitos estudantes ansiosos aguardavam a vez de contribuir para manter um bom estoque no Banco de Sangue, que costuma baixar no período de férias de fim de ano. O estudante Wesley Gonsalves estava inquieto para fazer sua parte. Ele contou que completou 18 anos em setembro e já poderia doar sangue, mas preferiu esperar para vir com a turma da escola. “É um misto de ansiedade com alegria, mas com os amigos por perto o apoio é maior e a coragem aparece.” 

Desde 1992, o Banco de Sangue de Sorocaba recebe doações de pessoas da cidade e região. A contagem é feita por estoque de bolsas e a média registrada pelo hospital é de duas mil por mês. Até setembro deste ano, 24.422 doadores já colaboraram para ajudar a atender aos 42 municípios da região. No próprio CHS, aproximadamente 3.500 pessoas foram beneficiadas com as doações captadas pelo Hemonúcleo, pois cada bolsa pode beneficiar de três a quatro pacientes. O sangue doado é rapidamente reposto pelo organismo e o doador não sofre nenhum prejuízo.

Como para doar sangue é preciso ter entre 18 e 65 anos, alguns alunos da escola estadual não puderam contribuir através da doação de sangue. Segundo a professora Ana Paula, os estudantes menores de idade trouxeram autorização assinada pelos pais, mas poucos autenticaram em cartório, o que é exigido pelo hospital. As amigas Jaqueline Pereira, Marcela Lima e Suzana Soares, ambas de 16 anos, foram embora mais cedo porque não poderiam fazer a doação. “Nós tínhamos a autorização, mas não autenticamos”, explicaram. Conforme as alunas, a oportunidade de ajudar o próximo ficará para um outro dia. “Da próxima vez poderemos doar e ajudar muita gente, pois vamos autenticar as autorizações antes de vir para cá.” 

Quem desejar colaborar para manter completo o Banco de Sangue do Hemonúcleo pode comparecer à avenida Comendador Pereira Inácio, 564 (ao lado do Hospital Leonor Mendes de Barros), de segunda-feira a sábado, das 7h30 às 12h30. É preciso ter entre 18 e 65 anos, pesar mais de 50 quilos e estar saudável. Mais informações pelos telefones (15) 3224-2930 e 3332-9461.
 
 
Não há comentários nessa notícia.Seja o primeiro a comentar